Uma pesquisa recente com usuários de jogos eletrônicos analisou os hábitos dos gamers brasileiros durante o período de distanciamento social. Felipe Santos, ou Feder, como é conhecido, tem visto o trabalho como produtor de jogos eletrônicos, crescer cada vez mais na pandemia. Com uma rotina intensa de lives diárias, ele acredita que o entretenimento virou alternativa para quem quis fugir do cotidiano. “A gente teve mais pessoas procurando entretenimento na internet, coisas que não sejam de notícia, tragédia, então foi aí que o meu público cresceu um pouco mais, o engajamento nas redes sociais também cresceu um pouco mais”, comenta. Da mesma forma, o gerente da Nimo TV, uma plataforma de transmissão de jogos eletrônicos, Rodrigo Russano avalia que a pandemia também trouxe um público diferente para esse mercado. Segundo ele, a realização de grandes torneios foi responsável por atrair esse novo consumidor.

“Veio um novo público que nem costuma jogar, mas eles gostam de assistir. É uma nova categoria de gamers, que é o cara que está mais antenado no que está acontecendo na competição em si do que praticando de fato. É um dos públicos que cresceu muito na Nimo”, comenta. De acordo com levantamento com usuários da Nimo TV, 88% dos gamers brasileiros consumiram mais jogos digitais no último ano, sendo que 66% deles passam, em média, mais de duas horas jogando diariamente.

*Com informações do repórter Vinicius Moura

Artigo anteriorAs opções de tratamento para o câncer de próstata
Próximo artigoFugindo da crise econômica, argentinos buscam reorganizar a vida no Brasil