As tentativas da defesa de Flávio dos Santos, filho da deputada Federal Flordelis, de inviabilizar ou suspender a ida dele a júri popular não deram certo e o acusado de ser o autor dos disparos que mataram em 2019 o pastor Anderson do Carmo deverá passar pelo julgamento no mês de novembro. Flávio está preso desde o dia do enterro de Anderson e é considerado pela polícia como a pessoa que apertou o gatilho que matou o pastor em julho de 2019 na garagem da casa onde ele morava no bairro de Pendotiba, em Niterói, na Região Metropolitana da cidade. O corpo dele teve mais de 30 perfurações. Outro filho de Flordelis, Lucas dos Santos, também está preso acusado de ter comprado a arma do crime e cedido o revólver ao executor dos disparos. Em novembro de 2020, outros cinco filhos do casal foram presos acusados de participação do crime: Adriano, André, Carlos, Marzi e Simone. Uma neta de Flordelis, Raiane, também já foi detida acusada de envolvimento na morte.

A deputada federal é acusada de ser mentora do assassinato e estaria insatisfeita com decisões tomadas pelo pastor Anderson do Carmo, que geria o dinheiro da família. Ela nega qualquer participação no crime e continua a fazer publicações nas redes sociais afirmando que traça busca pela Justiça. Segundo polícia e Ministério Público do Rio de Janeiro, a deputada federal foi responsável pelo planejamento do assassinato e só não está presa porque detém foro privilegiado. Apesar disso, ela é obrigada a cumprir medidas cautelares e precisa usar tornozeleira eletrônica. Flordelis enfrenta processo no Conselho de Ética da Câmara e deve perder direito ao foro privilegiado nas eleições de 2022.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga

Artigo anteriorJair Bolsonaro recebe alta de hospital após quatro dias internado
Próximo artigoInadimplência em contas de luz aumenta, mas consumidor tem direitos antes do desligamento