Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta segunda-feira, 14, a extensão do prazo de validade da vacina contra Covid-19 da Jansen, da Johnson & Johnson. A data de validade dos lotes do imunizante passou de três para quatro meses e meio, sob condições de armazenamento de 2° a 8° C. Segundo a Anvisa, a Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda solicitou a alteração de prazo de validade para a autorização temporária de uso emergencial em 10 de julho de 2021. “A aprovação foi baseada em uma criteriosa avaliação dos dados de qualidade dos estudos que demonstrou que a vacina tende a se manter estável pelo período (4,5 meses) bem como considerou decisão da agência norte-americana (Food and Drug Administration – FDA), que também aprovou a referida alteração em 10 de junho de 2021)”, diz nota da agência. O Brasil está para receber 3 milhões de doses da vacina com validade para 27 de junho. Com a alteração da Anvisa, o Ministério da Saúde tem um mês e meio a mais para distribuir e aplicar as doses antes do vencimento. O uso emergencial da vacina produzida pelo braço farmacêutico da Johnson & Johnson foi permitido pela Anvisa no fim de março. Ao contrário de outros imunizantes aplicados no Brasil, ela funciona apenas com uma dose.

Artigo anteriorEntrega de 3 milhões de doses da Janssen ao Brasil será adiada, diz Saúde
Próximo artigoSão Luís inicia vacinação de jovens a partir dos 24 anos