O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta terça-feira, 29, o programa SP Acolhe, que vai destinar um auxílio financeiro a famílias que perderam entes queridos por complicações da Covid-19. A proposta é que lares com renda mensal familiar de até três salários-mínimos recebam apoio de R$ 1800, que serão pagos em seis parcelas de R$ 300. O valor se refere a cada familiar falecido em decorrência da doença e vai ser acumulativo, explicou a secretária de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, Célia Parnes, em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan. “Esse é um auxílio pago, lamentavelmente, por ente perdido, por cada ente falecido. Ele começa a ser pago em 20 de julho em três parcelas, O governador João Doria lançou junto com o vice-governador, Rodrigo Garcia, justamente pensando nessas famílias de grande vulnerabilidade que, além da perda de um ente querido, muitas vezes, perderam o provedor da família, a pessoa que coloca a comida na mesa, que era o pilar da família.”

Segundo Célia Parnes, para ter acesso ao benefício, as famílias devem acessar o portal Bolsa do Povo, inserir o número NIS de identificação social e, a partir disso, inserir contato telefônico ou endereço para o cadastro. Caso os familiares não tenham acesso fácil à internet, a indicação da secretária é que procurem auxílio em um Centro de Referência em Assistência Social (CRAS). A expectativa é que 11 mil famílias sejam beneficiadas em todo o Estado de São Paulo com a ação, que terá investimento de R$ 20 milhões. Além do SP Acolhe, o governo estadual também lançou recentemente o programa Vale Gás, que dará três parcelas de R$ 100 para 100 mil famílias garantirem a compra do botijão. O projeto também tem início em 20 de julho e terá os pagamentos seguintes feitos em setembro e novembro.

Artigo anteriorApós morte de Ecko, guerra de milícias faz novas mortes no Rio
Próximo artigoCarrefour ameaça processar autores de livro sobre a morte de João Alberto