O governo de São Paulo multou pela terceira vez o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste sábado, 31, por não usar máscara em aglomeração em um evento realizado em Presidente Prudente, no interior do Estado. O uso obrigatório de máscara é determinado por lei estadual desde maio de 2020 para evitar a disseminação do novo coronavírus. O presidente já havia sido multado em manifestações realizadas em 12 e 25 de junho. Além dele, foram autuados neste sábado o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno; o Secretário Especial de Assuntos Fundiários, Luiz Antônio Nabhan Garcia; o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Já na esfera do Legislativo, foram flagrados os deputados federais Carla Zambelli, Cezinha de Madureira e Coronel Tadeu.

Bolsonaro, Tarcício, Zambelli, Cezinha e Coronel Tadeu já haviam sido autuados pelo governo do Estado e podem ter que pagar multa de até R$ 290,9 mil por reincidência no estímulo e envolvimento em ações de risco à saúde pública. Cada um dos demais está sujeito à multa de R$ 552,71 por descumprimento da legislação que determina o uso da proteção facial em espaços públicos. Segundo o governo do Estado, entre 1º de julho de 2020 e 20 de julho deste ano, 368.620 inspeções e 8.887 autuações por infrações às normas de prevenção da Covid-19 foram realizadas pela Vigilância Sanitária.

Artigo anteriorMourão nega renúncia e diz que segue no governo ‘até o fim’
Próximo artigoPartidos pedem que TSE cobre explicações de Bolsonaro sobre fraude eleitoral