As prefeituras de São Paulo e Maringá, no interior do Paraná, negaram que tenham aplicado doses vencidas da vacina contra a Covid-19. O prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PSD), afirma que ocorreu um erro no sistema do SUS. “O lançamento no Sistema Conect SUS está diferente do dia da aplicação da dose. Isso porque, no começo da vacinação, a transferência de dados demorava a chegar no Ministério da Saúde, levando até dois meses. Portanto, os lotes elencados são do início da vacinação e foram aplicados antes da data do vencimento”, disse o prefeito nesta sexta-feira, 2, pelas redes sociais. “Se houver dúvidas, é só conferir na etiqueta colada na carteirinha de vacina. Lá tem o lote e a data de validade. É só ver se bate com a data que você tomou a vacina. Seguiremos com nosso trabalho sério, eficiente e transparente”, completou. Mais de 26 mil doses vencidas da vacina AstraZeneca foram aplicadas em 1.532 cidades brasileiras, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. O cruzamento de dados do Ministério da Saúde mostra que Maringá foi a cidade que mais vacinou pessoas com doses fora do prazo de validade, foram 3.536. Em seguida, Belém, São Paulo, Nilópolis, Salvador e Rio de Janeiro. Em nota, a Prefeitura de São Paulo negou. “A data de validade de todos os imunizantes passa por uma tripla checagem: no recebimento, na distribuição e na aplicação da vacina, inclusive, com a apresentação do frasco ao munícipe”, diz o comunicado. A administração municipal informou ainda que o município está fazendo um rastreamento nas doses aplicadas, com a revisão de todos os lotes e vacinas cadastradas.

Artigo anteriorMenino de seis anos que caiu de atração no Beto Carrero World recebe alta
Próximo artigoPeixe raro e que vive nas profundezas do oceano morre encalhado em praia no Piauí