Estudo fruto de parceria entre a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) divulgado na última quinta-feira, 29, na revista científica americana JAMA Ophthalmology identificou a presença do vírus da Covid-19 na retina de pacientes que tiveram a doença anteriormente. Segundo Rubens Belfort Junior, coordenador da pesquisa, a presença do coronavírus na retina humana pode ser um indicativo de que o vírus se armazena no sistema nervoso central e em outros órgãos, causando Covid-19 crônica, com sintomas que variam entre queda de cabelo, fadiga intensa, insônia, esgotamento mental e dificuldades respiratórias. 

Para chegar a conclusão do estudo, o grupo de pesquisadores analisou a retina de homens e mulheres na faixa etária dos 68 aos 79 anos que morreram em decorrência da Covid-19. Segundo Belford, a escolha da retina para a pesquisa se deu porque ela é capaz de identificar o vírus em diferentes tecidos do corpo humano. O mesmo grupo de cientistas foi responsável por revelar anteriormente estudo que disse que cerca de 20% dos pacientes de Covid-19 apresentaram anomalias vasculares após a recuperação da doença.

Artigo anteriorPolícia acha ossada em buscas ligadas a desaparecimento de meninos em Belford Roxo
Próximo artigoJoice Hasselmann contrata advogado Kakay para defesa técnica em suposto caso de agressão