Um dos cinemas mais tradicionais de São Paulo, o Cine Petra Belas Artes, na rua da Consolação, reabriu as portas na quinta feira, 24, depois de um ano e meio fechado. O local optou por manter as portas fechadas mesmo após a liberação do governo estadual no fim de abril. Todas as seis salas estão com capacidade máxima de 40% e com assentos intercalados. O escolhido para a estreia é o filme francês ”Os Melhores Anos de Uma Vida”, com dois atores na casa dos 90 anos. O filme resgata as memórias de um casal meio século depois. Para o presidente do Belas Artes Grupo, André Sturm, a reflexão sobre a passagem dos anos na pandemia torna a escolha do filme adequada ao momento. “Foi uma coincidência incrível que a gente tinha esse filme para estrear. É um filme que justamente fala da vida, do amor e do cinema. Reabrir o cinema com esse longa foi realmente muito especial. Nada mais apropriado para esse momento que nós estamos todos voltando a poder viver, a poder encontrar um ao outro, abraçar”, diz Sturm.

Outra sala será ocupada pela versão definitiva do clássico “Apocalipse Now”, que ganha o subtítulo “Final Cut”, ou seja, a edição planejada pelo cineasta, restaurada a partir dos negativos originais, com preciosos 49 minutos excluídos da primeira versão. Os saudosistas de uma boa projeção poderão matar a saudade de uma exibição em película de filmes que ocuparão também uma sala do Belas Artes. Será possível maratonar com longas como o delicado “Um Dia Muito Especial”, com Sophia Loren e Marcello Mastroianni dirigidos por Ettore Scola. As pessoas com mais de 60 anos que forem ao cinema na primeira semana de reabertura ganharão um ingresso que pode ser usado na hora para um acompanhante ou posteriormente, como um voucher que deve ser trocado por um ingresso no prazo de um mês.

*Com informações do repórter Victor Moraes

Artigo anteriorProjeto ajuda a promover autonomia econômica para refugiadas venezuelanas
Próximo artigoBolsonaro critica CPI em discurso durante ‘motociata’: ‘Não querem investigar quem recebeu o dinheiro’