O secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou que a prioridade da cidade é avançar na administração da primeira dose da vacina contra a Covid-19 no maior número de pessoas possível. Segundo ele, 70% dos paulistanos com mais de 18 anos já receberam pelo menos uma dose de imunizante. “Tivemos uma queda bem acentuada nas internações e óbitos na cidade. O grande desafio é, até o dia 20 de agosto, vacinar todas as pessoas com mais de 18 anos. Além de manter acelerado o processo de aplicação da segunda dose. Se conseguirmos fazer esses dois movimentos, teremos até dezembro todo mundo com a segunda dose.” Para o secretário, essa diminuição nos números é fruto da aplicação das mais de oito milhões de doses da vacina apenas no município. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 55% e enfermaria em 40%.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Edson Aparecido falou sobre a preocupação com a variante delta da Covid-19. “Toda semana nós enviamos 350 amostras positivadas de pessoas da cidade para análise. Em uma dessas amostras enviadas, nós localizamos a circulação da variante delta na região do Belenzinho. A família toda está positivada, mas não confirmados para a variante. Todas as 40 pessoas contactantes com a família, sobretudo com um dos membros, nós já rastreamos. Estamos concluindo hoje a última pessoa monitorada para ver se ela não viajou ou teve contato com viajante para constatar a transmissão comunitária. Por enquanto, todo mundo negativo. A família passa bem e continuamos fazendo esse processo nas barreiras sanitárias de aeroportos, rodoviárias e terminais de carga.”

Ainda nesta semana, a vacinação vai terminar de vacinar as pessoas de 37 anos e avançar para 35 e 36 anos. Para o sábado está prevista a repescagem deste grupo. Edson Aparecido garantiu a distribuição de doses nos postos da capital paulista nos próximos dias, apesar de problemas pontuais em onze postos da Zona Norte na última segunda-feira, 12. “Há mais de dez dias estamos conseguindo manter o ritmo de quase uma faixa etária por dia”, completou. O secretário também reforçou a intenção de avançar o calendário para maiores de 12 anos, já que o imunizante da Pfizer já recebeu autorização da Anvisa para aplicação nos menores de idade. Segundo ele, 961 mil pessoas entre 12 e 17 anos têm comorbidades ou alguma deficiência. Seriam necessários apenas de quatro a cinco dias para zerar a imunização do grupo.

Artigo anteriorButantan recebe insumos para a produção de 20 milhões de doses da CoronaVac
Próximo artigoAvanço da vacinação deixa educadores otimistas para retomada das aulas presenciais