A Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão (Fenaert), a Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp) e o Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Paraná (Sert-PR) divulgaram notas de repúdio nesta segunda-feira, 2, contra o requerimento do senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid-19, que pede a quebra de sigilo bancário e fiscal da Jovem Pan. A Fenaert afirmou que a medida não tem embasamentos concretos que possam ser justificados de forma alguma e disse que a emissora, em seus quase 80 anos de história, “se tornou e continua sendo uma referência ao público brasileiro com seu jornalismo independente e de qualidade, cumprindo o seu dever de informar fatos que sejam importantes e de interesse público.”

“A CPI tem como objetivo apontar as falhas e eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia do coronavírus no país e qualquer ameaça ao trabalho dos veículos de imprensa não será tolerada, pois trata-se de uma afronta a um dos principais direitos garantidos pela Constituição Federal, que é a liberdade de expressão”, diz a Federação. Em nota, a Aerp e o Sert-PR afirmam que o requerimento é uma afronta ao trabalho da imprensa livre e não condiz com os princípios do Estado Democrático de Direito. “O bom senso deve garantir que o direito de levar informação de qualidade e veracidade para a sociedade seja mantido”, afirma o comunicado.

Artigo anteriorPaes apaga ex-presidente do COB ao postar foto com Rebeca Andrade
Próximo artigoOssada encontrada pela polícia do RJ não é de meninos desaparecidos em Belford Roxo