O secretário especial da Cultura, Mário Frias, usou as redes sociais nesta quinta-feira, 29, para se posicionar sobre o incêndio registrado em um galpão da Cinemateca Nacional no bairro da Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo, no fim da tarde. “Já solicitei a perícia da Polícia Federal, que irá tomar as devidas providências para verificar se o incêndio na Cinemateca foi criminoso ou não. Tenho compromisso com o acervo ali guardado, por isso mesmo quero entender o que aconteceu”, disse. Apesar de não ser o prédio principal da Cinemateca, o galpão abriga rolos de filmes, o acervo da Programadora Brasil e equipes museológicas. Ninguém ficou ferido e pelo menos 15 viaturas do Corpo de Bombeiros foram enviadas para responder à ocorrência, iniciada às 18h. Frias está em Roma, na Itália, cumprindo agenda oficial na noite desta quinta-feira, 29, para a abertura da Conferência dos Ministros da Cultura dos Países do G20. Ele está acompanhado pelo ministro do Turismo, Gilson Machado. Em nota, a Secretaria Especial da Cultura afirmou que a investigação das causas do incêndio serão feitas pela PF, mas só após o controle do fogo será possível determinar o impacto e as ações necessárias para uma eventual recuperação do acervo e, também, do espaço físico.

Artigo anteriorJustiça decide que Roger Abdelmassih deverá voltar ao regime fechado
Próximo artigo75% dos brasileiros não têm vacina favorita contra a Covid-19, aponta pesquisa do CNI