O aumento de casos de roubo de celulares para golpe bancários como transferências, empréstimos e outras transações fez acender um alerta no Procon de São Paulo. A instituição busca dialogar com as operadoras e ensinar o consumidor a se proteger dessas fraudes. Um vídeo com dicas foi divulgado nas redes sociais da entidade informando que o consumidor deve ser rápido após o crime para apagar os dados dos smartphones. A vítima deve procurar por um celular ou computador disponível e, para modelos Android, acessar android.com/find, entrar com seus dados e clicar em “Limpar dispositivo”. Já na plataforma IOS, o consumidor deve acessar icloud.com, entrar com seus dados e clicar em “Buscar iphone” e depois em “Apagar iphone”. O vereador paulistano Marlon Luz, conhecido por ter um canal no Youtube onde mostra seu dia a dia como motorista de aplicativo, gravou o exato momento em que foi roubado na semana passada, em São Paulo. Desde então, segundo ele, apenas dor de cabeça para reaver seus dados. Os criminosos chegaram a retirar mais de R$ 60 mil das suas contas bancárias.

“Tive que trocar senhas no dia seguinte, tiraram todo dinheiro da conta, eu precisava pagar contas, todo mundo tem conta para pagar e não tinha dinheiro. Tive que atrasar contas, por exemplo, cadastrei as novas senhas, esqueci as novas senhas, fiquei com medo de usar aplicativos no celular, tive que usar só no computador e mesmo assim cadastrar novos dispositivos”, afirmou. O vereador chegou a levar o assunto à Câmara de São Paulo, onde recebeu apoio dos colegas para discutir e dar mais segurança aos usuários. “Muitos colegas apoiaram uma CPI dos bancos em relação à segurança, mas o que mais vingou foi o Procon ou a Febraban exigindo dos bancos maior segurança em relação ao acesso dos aplicativos, isso foi muito bom. Também é exigência das próprias plataformas que fazem os aparelhos celulares para garantir mais segurança às transações bancárias”, explicou. O Procon se reuniu com representantes de instituições bancárias, operadoras de telefonia e plataformas digitais para discutir o tema da segurança. Ficou definido que em breve será disponibilizada uma central com as orientações que o consumidor deve seguir nesses casos.

*Com informações do repórter Fernando Martins

Artigo anteriorMinistério autoriza Estados e municípios a ampliarem vacinação contra gripe
Próximo artigoPrefeitura de São Paulo antecipa vacinação de pessoas com 40 anos para quarta-feira