A Prefeitura do Rio de Janeiro aguarda um posicionamento do Ministério da Saúde, responsável por fazer a entrega das doses da vacina contra a Covid-19 através do Plano Nacional de Imunização, que vem recebendo muitas criticas do prefeito Eduardo Paes e do secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. Segundo eles, há um hiato muito grande entre o recebimento das vacinas por parte da pasta e a entrega das doses aos Estados e municípios. Esse intervalo chega a ser de 15 dias, o que prejudica o planejamento e as campanhas de vacinação em todo o Brasil.

A cidade do Rio de Janeiro, antes da interrupção, já tinha imunizado cerca de 3,6 milhões de pessoas com uma dose e 1,5 milhão com a segunda dose ou dose única. O plano, até bem pouco tempo, era completar a cobertura de adultos com a primeira dose contra a Covid-19 em meados de agosto e cobrir toda a população com duas doses da vacina até o mês de novembro. Se essa paralisação for muito grande, essas metas podem ser prejudicas. O Ministério da Saúde sinalizou que deve enviar 10,2 milhões de doses da vacina nesta semana — divisão será decidida em reunião tripartite.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga 

Artigo anteriorVariante Delta ‘certamente’ trará efeitos ao turismo no Brasil, diz especialista
Próximo artigoDesafio para empresas, sanções da LGPD começam a valer em agosto