A vacinação em massa na Ilha de Paquetá, na cidade do Rio de Janeiro, tem dados preliminares positivos. Segundo fontes da Jovem Pan, as informações já começam a ser analisadas e, na próxima semana, serão discutidas com o Comitê Cientifico do município, que vem prestando assistência à gestão de Eduardo Paes durante a pandemia de Covid-19. Os dados estão sendo avaliados para futuras intervenções e medidas as serem adotadas para toda capital fluminense. A ideia é que na segunda quinzena de julho, em Paquetá, a prefeitura inicie uma campanha de vacinação em massa de adolescentes de 12 a 17 anos. Os resultados devem ajudar o município do Rio de Janeiro na campanha de vacinação, que abrange apenas adultos atualmente. A Pfizer é a vacina autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação nos menores. No entanto, a imunização em massa em Paquetá adotou a vacina de Oxford. A campanha foi inspirada no caso de Serrana, município de São Paulo que recebeu participou de estudo com a CoronaVac.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga 

Artigo anteriorSecretaria investiga denúncias de fraudes na vacinação em São Paulo
Próximo artigoSão Paulo vai reforçar policiamento neste sábado para atos contra o governo