A taxa de transmissão (Rt) da Covid-19 caiu para a 0,98 no Brasil, segundo levantamento do Imperial College de Londres, no Reino Unido, divulgado nesta terça-feira, 29. Ou seja, a cada 100 infectados pelo coronavírus outras 98 pessoas também vão ser contaminadas. Considerando a margem de erro, esse número pode reduzir para 0,76 (76 novas infecções a cada 100 infectados) ou subir pra 1.08 (108 pessoas com a doença a cada 100 pessoas infectadas). A queda acontece em meio ao avanço da vacinação no país e o resultado, embora ainda seja considerado alto, representa um significativo recuo frente à semana anterior, quando o índice era de 1,13. No entanto, mesmo com a redução na transmissão do coronavírus, o Imperial College ainda projeta alto número de mortes pela doença no país, com estimativa de 11.300 a 14.600 óbitos ao longo desta semana. Além disso, a taxa mantém o Brasil à frente de outros países da América do Sul, como Argentina (0,96), Chile (0,94), Paraguai (0,92), Peru (0,90) e a Bolívia (0,88), ocupando a 27ª posição entre as nações do mundo com os piores índices.

Além de mostrar o recuo na taxa de transmissão da Covid-19 no Brasil, o levantamento do Imperial College desta semana também aponta que países como o Canadá, o Reino Unido e os Estados Unidos, líderes da vacinação, continuam com índices altos de contágio pelo coronavírus. Segundo dados do Our Wold in Data, da Universidade de Oxford, os países aparecem em primeiro, terceiro e sexto lugar, respectivamente, entre as nações que mais vacinaram contra a doença no mundo, considerando ao menos uma dose dos imunizantes. No entanto, segundo o Imperial College, no Canadá (67,9% de vacinados) a taxa de transmissão da doença é de 0,99, nos Estados Unidos (53,7%) é de 1,01 e no Reino Unido (65,5%) é de 1,43.

Artigo anteriorCom mais de 5 mil câmeras, novo sistema de vigilância do metrô é avaliado diariamente, diz Baldy
Próximo artigoDoria diz que vacinação contra Covid-19 pode ser antecipada no Estado de São Paulo